CONFIRA ENTREVISTA DO PLANETA ORGÂNICO COM MIRIAM FRANCISCA, PRESIDENTE DA ACELBRA-RJ (ASSOCIAÇÃO DE CELÍACOS DO BRASIL – RJ), SOBRE A PARTICIPAÇÃO NA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE E O TRABALHO DO RIO SEM GLÚTEN

Como a ACELBRA-RJ avalia sua participação na JMJ até o momento?

Miriam: Como mais uma conquista, desde a criação da Associação em 2005, e constatando o reconhecimento do nosso trabalho, pois temos obtido de vários setores, em âmbito estadual e nacional, o devido crédito, a despeito dos muitos obstáculos ainda enfrentados. O convite para participar deste evento corrobora esta constatação e estamos contando com uma grande torcida para que nosso propósito, ao participarmos da JMJ, seja alcançado e consigamos proporcionar aos Peregrinos Celíacos ou sensíveis ao glúten (proteína encontrada no trigo, aveia, centeio e cevada) uma alimentação segura, saudável, saborosa e nutritiva. Estima-se que cerca de dois milhões de pessoas no Brasil sejam acometidas pela doença celíaca, mas a maioria não tem diagnóstico. A iniciativa da JMJ em contemplar essa parcela da população brasileira (além da estrangeira) presente ao evento será, sem dúvida, um marco para impulsionar nosso trabalho – atualmente em plena campanha “RECONHECER A DOENÇA CELÍACA”, desenvolvida por nossa federação – a FENACELBRA.  O trabalho da Federação vai além de orientar e acolher celíacos diagnosticados mas, também, em sensibilizar os representantes do Poder Público  e os profissionais da área de Saúde (dos Estados e dos Municípios de nosso País) em promoverem ações para realização do diagnóstico dos que são celíacos e não sabem.

Como restaurantes da JMJ podem se preparar para apresentar pratos que atendam ao celíaco?

Miriam: Aderindo ao curso à distância idealizado pelas Dras. Noádia Lobão, uma das Consultoras Técnicas, voluntárias, da ACELBRA-RJ e Lucélia Costa – presidente da Fenacelbra – ambas nutricionistas.  O curso visa a capacitação dos profissionais dos restaurantes que se integrarem à JMJ, quanto ao preparo da alimentação, primando para que os pratos a serem ofertados, tanto para os Peregrinos Celíacos como para pessoas que tenham “sensibilidade ao glúten” sejam elaborados de forma segura e livre de contaminação cruzada por essa proteína. Ressalto que a Dra. Noádia foi a responsável, também, pela elaboração do Kit Peregrino isento de glúten. Os interessados pela capacitação devem acessar, além do restrio2013.com, os seguintes sites:

http://www.fenacelbra.com.br/fenacelbra/cadastro-jmj

A ACELBRA-RJ possui artigos relacionados a este assunto?

Miriam: Com certeza. Temos muito material e os mais recentes elaborados para a Campanha citada, como os pertinentes ao II COINE – um Congresso Internacional, específico para nossa problemática, realizado em maio pp., pelo Centro Brasileiro de Pesquisa e Apoio Nutricional – CBAN, dirigido pela Dra. Noádia, com o apoio da FENACELBRA e ACELBRA-RJ.

Como sugestões cito dois que podem ser vistos nos seguintes links:

http://www.riosemgluten.com/10_passos_celiacos_Juliana_Crucinsky.pdf

http://www.riosemgluten.com/doenca_celiaca_sensib_gluten.htm

__________________________________________________________________________________________________________________

<< voltar