notícias

21 de Setembro 2017

 

 

 

FGV lança caderno de biocombustíveis

A FGV Energia lançou este mês o Caderno de Biocombustíveis. Foram consultados mais de 50 agentes do setor (representantes do Governo, associações empresariais, empresas, consultorias, academia e outros). No final de 2016, o Ministério de Minas e Energia lançou o programa RenovaBio, com o objetivo de estimular a produção de biocombustíveis no país e que apresenta propostas de mudanças estruturais. As oportunidades criadas pelos compromissos assumidos no Acordo de Paris (sobre mudança climática) e a regulação proposta pelo RenovaBio foram determinantes para o lançamento do Caderno.

O trabalho foi estruturado sob os seguintes blocos de análise: a proposta do RenovaBio; etanol e biodiesel; os novos biocombustíveis; panorama do setor, principais entraves e perspectivas de retomada dos investimentos.

O Caderno de Biocombustíveis pode ser acessado gratuitamente pela internet

________________________________________________________________________________________________

Planeta Orgânico e Sustainable Food Summit entrevistam Paulo Pianez, Diretor de Sustentabilidade do Carrefour

Confira entrevista realizada pelo Planeta Orgânico e Sustainable Food Summit com Paulo Pianez, Diretor de Sustentabilidade do Carrefour, que comenta sobre desperdício de alimentos, rastreabilidade e ações da empresa visando alimentação saudável e meio-ambiente.

Quais são as principais questões de sustentabilidade na agenda do Carrefour e como você os desenvolve?

Paulo Pianez: O Grupo Carrefour Brasil conduz e apoia diversos projetos socioambientais no país, reforçando o compromisso e preocupação da companhia com o desenvolvimento sustentável das nossas operações e da sociedade, o que inclui ainda a sua cadeia de fornecimento. Ao longo dos últimos anos, investimos em ações voltadas ao combate ao desperdício e rastreabilidade dos alimentos, além de compromissos assumidos no Brasil e globalmente, como o combate ao desmatamento e ao aquecimento global. Dentre os principais projetos ambientais desenvolvidos pela companhia no país estão: coleta de materiais recicláveis, medicamentos vencidos e óleo de cozinha, baterias, pilhas e cartuchos de impressora usados; instalação de iluminação 100% a base de LED em lojas; uso racional de recursos naturais; uso de energia proveniente de fontes alternativas (eólica, biomassa e pequenas centrais hidroelétricas); instalação de balcões frigoríficos fechados e a base de gás natural; e aperfeiçoando do sistema de entregas, reduzindo o número de viagens logísticas e, consequentemente, da emissão de CO2. Os atuais pilares da política ambiental do Grupo Carrefour Brasil estão voltados ao combate ao desperdício e à rastreabilidade de alimentos. Dentre as iniciativas da companhia para o combate ao desperdício, podemos destacar o ‘Programa Sans Form’, lançado no início de 2015 pelo Atacadão. Em uma iniciativa pioneira, o formato de cash&carry da companhia evita o desperdício de alimentos por meio da comercialização, com descontos de até 40%, de frutas e legumes de qualidade, porém, fora do padrão de comercialização. Além disso, anualmente, a companhia doa toneladas de alimentos de suas operações para programas de combate à fome, colaborando com a redução do desperdício e com o reaproveitamento de alimentos. Os itens coletados nas lojas do Carrefour e do Atacadão em todo o país são encaminhados aos bancos de alimentos cadastrados pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e doados ao Programa Mesa Brasil do SESC (Serviço Social do Comércio). Paralelamente, desde 1999, a companhia comercializa no Brasil diversos produtos com a marca Carrefour que recebem o selo do ‘Programa Garantia de Origem’, que certifica a qualidade e procedência dos produtos, a partir de sistema que possibilita 100% de rastreabilidade, via QR Code, do campo à gôndola. Atualmente, a empresa comercializa mais de 180 produtos certificados pelo selo Garantia de Origem e mantém 160 fornecedores cadastrados no programa. Somado a isso, todos os mais de 8.000 produtos da marca Carrefour são produzidos seguindo rigorosos critérios de qualidade, dentre eles a ausência de qualquer componente transgênico. O Carrefour também é destaque no varejo alimentar em relação ao controle do uso adequado de defensivos agrícolas em frutas, verduras e legumes no Brasil desde a criação do Programa Rama, em 2014, pela Abras. Pelo segundo ano consecutivo, a companhia recebeu o ‘Prêmio Rama’ na categoria ‘Destaque do Varejo’, reconhecimento pelo amplo monitoramento de fornecedores e pela transparência adotada com os nossos consumidores. Em 2016, o Carrefour rastreou 100% dos itens da sua marca própria, que inclui também os produtos que recebem o selo Garantia de Origem. Em relação aos demais produtos comercializados pela rede, que não inclui a marca Carrefour, a adesão dos fornecedores chegou a 78%. Porém, ao considerar todo o quadro de fornecedores da rede, 82% aderiram ao programa. Como resultado de 420 análises, o índice de conformidade do Carrefour no Rama foi de 76%, percentual superior à média geral do programa, que incluiu outros varejistas que operam no país. Dentre os muitos compromissos globais do Grupo Carrefour está a meta de atingir desmatamento zero em sua cadeia de fornecimento até 2020, considerando as matérias-primas utilizadas em nossa operação e produtos. Desde então, uma política florestal foi desenvolvida pela companhia globalmente e cada país onde está presente tem a missão de cumprir este compromisso atuando de acordo com a legislação e desafios locais. A gestão rigorosa e sustentável de cadeias, especialmente de óleo de palma, madeira, soja e carne bovina, está entre as nossas prioridades. No Brasil, lançamos em setembro do ano passado a ‘Plataforma de Pecuária Sustentável’ do Carrefour. A partir desta política nacional para a compra de carne bovina in natura, adotamos um sistema para monitorar os processos produtivos e as práticas socioambientais de todos os nossos fornecedores de carne bovina, a fim de coibir a produção de carne em áreas de desmatamento ou embargadas, unidades de conservação, terras indígenas ou mesmo com uso de trabalho escravo. Além disso, em 2013, a companhia foi pioneira no lançamento da carne bovina com certificação Rainforest Alliance e, desde 2009, integra o Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS). O Grupo Carrefour ainda atende às diretrizes da Moratória da Soja e se comprometeu com o uso do óleo de palma certificado até o final de 2015 em todas as suas operações, o que reduz a pressão sobre as florestas. O combate ao aquecimento global é outro compromisso global do Grupo Carrefour que, inclusive, apoiou a realização da COP21, em 2015, em Paris. Na mesma ocasião, a companhia assinou em território nacional a ‘Carta Aberta ao Brasil sobre Mudança Climática’, renovando e ampliando seus compromissos com o combate ao aquecimento global. Assinamos o Protocolo Climático do Estado de São Paulo ao lado de outras empresas, um acordo inédito proposto pelo Governo do Estado de São Paulo para reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) e a mitigar os efeitos das mudanças climáticas.

Como você prevê a produção e o comércio de alimentos sustentáveis ​​através do Carrefour nos próximos 10 anos?

Paulo Pianez: Nos próximos anos, o Grupo Carrefour Brasil manterá seus esforços para dar continuidade aos seus atuais projetos socioambientais e compromissos assumidos publicamente, apoiando novas iniciativas e trabalhando em prol de um ciclo sustentável de produção e comercialização de alimentos, principalmente quando envolvem cadeias produtivas críticas.

Qual é a sua opinião sobre o interesse do consumidor brasileiro por alimentos sustentáveis ​​e o que você acredita é a sua compreensão (orgânica, rótulos, etc.)?

Paulo Pianez: Acreditamos que, cada vez mais, o consumidor brasileiro está atento e exige das marcas um compromisso claro com uma série de valores, dentre eles a responsabilidade socioambiental. Atento aos hábitos e necessidades dos nossos clientes, o Grupo Carrefour Brasil ainda estimula a alimentação saudável e sustentável, contando com um amplo sortimento de produtos chamados saudáveis, das principais marcas do mercado e sua marca própria.


PAULO PIANEZ PARTICIPA DO SUSTAINABLE FOOD SUMMIT, QUE CONTA COM A PARCERIA DO PLANETA ORGÂNICO / GREEN RIO:

___________________________________________________________________________________________________________

Bate-papo sobre bioeconomia no YouTube com especialista da UFRJ

O Sebrae realizou bate-papo sobre bioeconomia com o Professor Vitor Bomtempo da UFRJ em seu canal YouTube.

No primeiro vídeo, ele apresenta o assunto e no segundo tira dúvidas a respeito.

____________________________________________________________________________________________________________

APEX e CNI publicam manual sobre barreiras comerciais e aos investimentos

Para auxiliar as empresas brasileiras a lidarem com possíveis barreiras comerciais que possam afetar suas exportações e investimentos, a Apex-Brasil e a CNI criaram um manual que detalha o tema de forma didática e explicativa. O documento detalha os diversos tipos de barreiras comerciais: tarifárias, não tarifárias e aos investimentos. E destaca a relevância do tema para o comércio exterior e para a atração de investimentos brasileiros.

Para ler o manual completo, clique aqui.

______________________________________________________________________________________________________________