12 de Novembro 2018

 

 

Coordenadora do Green Rio, Maria Beatriz Martins Costa recebe Medalha Tiradentes na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro

A Medalha Tiradentes é o reconhecimento da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) a pessoas que prestam serviços a causa pública do estado. A diretora do Planeta Orgânico e coordenadora do Green Rio, Maria Beatriz Martins Costa, recebeu a medalha no dia 11 de setembro. A entrega foi realizada no plenário lotado da ALERJ pelo deputado Christino Áureo, ex-secretário de agricultura e ex-chefe da Casa Civil do estado do Rio de Janeiro.

A cerimônia contou ainda com o reconhecimento de Stella Romanos, EMATER; Rodolfo Tavares, FAERJ; Carla Pinheiro, SEBRAE RJ e Gustavo Barbosa, RioPrevidência. Em seu discurso, Maria Beatriz destacou as parcerias e apoiadores desde o início do Planeta Orgânico, passando pelo pioneirismo de trazer a BioFach para o Brasil e chegando atualmente ao Green Rio. Destacou ainda a importância de sua sócia, Rosina Guerra, equipe e familiares como pilares para seu trabalho.

_____________________________________________________________________________________________________________

Crescimento do evento, delegação da Alemanha e conteúdo sobre bioeconomia consolidam Green Rio 2018

A sétima edição do Green Rio recebeu uma delegação da Alemanha, composta de 32 pessoas, das quais 20 eram pesquisadores, para discutir temas acordados entre os governos de Brasil e da Alemanha no cenário da Bioeconomia.

Pelo fato destes encontros bilaterais terem sido realizados durante o Green Rio, esta delegação teve oportunidade de ver, ouvir e tomar conhecimento do quanto o Brasil já pratica a bioeconomia, antes de ser conhecida como tal, e de ser promovida como a economia do século XXI.

A mesma oportunidade tiveram os mais de 3.400 visitantes deste evento quando participaram de rodas de conversa, escolheram quais ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) desejaram promover, conheceram as biostartups que participaram de um pitch, degustaram produtos de nossos biomas em oficinas de gastronomia, descobriram quem faz Moda Sustentável, participaram de painéis que trataram desde Orgânicos, Agricultura Familiar e Cooperativismo até Biotecnologia e Amazônia 4.0.

Clique aqui para saber quem foram os expositores do Green Rio.

Duas campanhas foram divulgadas no Green Rio 2018: RIO Comércio Justo, promovida pela Prefeitura do Rio de Janeiro e Campanha do Alimento Orgânico promovida pelo Ministério da Agricultura.
Tudo isso, e muito mais, é bioeconomia, tema transversal no Green Rio 2018.

Este tema foi destacado por todos que participarem da abertura do evento, a saber:
Maria Beatriz Bley Martins Costa – Coordenadora Green Rio
Augusto Togni – representando a Diretora do SEBRAE Nacional, Heloísa Menezes
Epitácio Brunet – Sub-Secretário Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação – SMDEI – Prefeitura do Rio de Janeiro
Stella Romanos – Presidente da Emater, representando o Secretário de Estado de Agricultura, Pecuária , Pesca e Abastecimento, Alex Grillo
Klaus Zillikens – Cônsul Geral da Alemanha
Juliana Simões – Secretária de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, representando o Ministro Edson Duarte
Jefferson Coriteac – Secretário da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário – Casa Civil
Marc Diaz – Representando o Diretor Evandro Peçanha do SEBRAE RJ
Antonio Alvarenga – Presidente da Sociedade Nacional de Agricultura

O palestrante da abertura do Green Rio foi Ingo Plöger, presidente do CEAL – Conselho de Empresários da América Latina – com a palestra Bioeconomia e Inovação no Brasil e na América Latina, na qual Ingo Plöger destaca a necessidade do Brasil lançar a sua Plataforma de Bioeconomia Nacional, na forma de um Conselho Estratégico Integrado de Bioeconomia.

Conheça a palestra de Ingo Plöger na abertura do Green Rio 2018.

FEIRA REUNIU 88 EXPOSITORES, DA ALEMANHA E DE NORTE AO SUL DO BRASIL

O Governo da Alemanha teve pela primeira vez no Green Rio um estande oficial para promover Bioeconomia, apresentando informações sobre o tema no país.

O SEBRAE participou com representantes de biostartups, moda, alimentação orgânica e rde diversos estados brasileiros. O SESC apresentou um painel interativo sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), além de realizar oficinas de reaproveitamento de alimentos. 
O estande Brasil no Green Rio reuniu Ministério do Meio Ambiente, Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Ministério da Agricultura, promovendo as respectivas iniciativas relativas à parceria. Rodas de conversa ocorreram diariamente no estande.

Korin, Sítio do Moinho e GoGreen promoveram a produção e o varejo de orgânicos. A inovação foi um dos destaques do Green Rio. A Granado participou novamente e lançou sua linha Terrapeutics com composição de ingredientes naturais. A Fiocruz apresentou pesquisas e projetos, como a cadeia de valor de plantas medicinais com agricultura familiar.O Green Rio contou também este ano com empresas especializadas na produção de máquinas e equipamentos na bioeconomia. A brasileira Guarany apresentou equipamentos com enfoque no pequeno produtor. A GR Agrária levou sua produção de insumos orgânicos do interior do estado do Rio de Janeiro. A Itaipu Binacional participou novamente, apresentando suas iniciativas de sustentabilidade, principalmente energias renováveis.

Compradores nacionais e expositores fizeram parte das rodadas de negócios nacionais, organizadas pelo Planeta Orgânico/Green Rio. Nas rodadas internacionais, importadores estrangeiros fizeram parte da agenda promovida pela APEX Brasil e ABBA (Associação Brasileira dos Exportadores e Importadores de Alimentos e Bebidas). No sábado, encontro de negócios reuniu indústrias e representantes governamentais com o tema bioeconomia.

Concluindo o sábado, último dia do evento, a Camerata Jovem Rio de Janeiro se apresentou na praça de alimentação do Green Rio, onde o visitante degustava refeições do Sítio do Moinho, ABIO, produtos da Amora Verde e lanches nutricionais.

____________________________________________________________________________________________________________

SENAI realiza evento em parceria com Fraunhofer da Alemanha em bioeconomia

O Instituto SENAI de Inovação (ISI) do SENAI CETIQT, em parceria com o Instituto Fraunhofer da Alemanha, realizou o Industrial Biotechnology and Bioprocessing Seminar, encontro que reuniu palestras nacionais e internacionais na unidade Riachuelo, Rio de Janeiro. O chefe do escritório de projetos do Instituto Fraunhofer IPK no Brasil, Markus Will, apresentou o panorama sobre a parceria existente entre o Fraunhofer e o SENAI Departamento Nacional desde 2012. “Esta parceria visa consolidar a rede de Institutos de Inovação no país, ofertando pesquisa aplicada de ponta para a indústria. Hoje, são 21 ISIs operando em territórios nacional, com mais de R$ 500 milhões de reais em projetos de P&D com a indústria”, afirma a especialista do ISI, Mariana Dória.

Susanne Zibek, do Instituto Fraunhofer IGB, conversou com os presentes sobre os principais desafios na escala de bioprocessos e exemplos de cases de sucesso. Em sua palestra, Dra. Susanne apresentou a estrutura e know how do Fraunhofer IGB no escalonamento de bioprocessos fermentativos e os desafios encontrados nas diferentes etapas do processo.

O especialista João Bruno Bastos apresentou a linha de pesquisa do ISI voltada a intensificação de processos de biorefinarias. E por fim, a também especialista do Instituto, Mariana Doria, apresentou linhas de fomento para P&D&I, para empresas e institutos de pesquisa, além do projeto do portal www.innovatrends.org, demonstrando a importância do desenvolvimento de roadmaps tecnológicos para guiar a pesquisa industrial.

O Planeta Orgânico/Green Rio esteve presente no evento e realizou contatos visando a oitava edição do Green Rio: www.greenrio.com.br

Fonte: SENAI CETIQT / Edição: Planeta Orgânico

_____________________________________________________________________________________________________________

Edital do MMA busca iniciativas contra desperdício

Ideia é aumentar compreensão e fortalecer consciência de todos os setores da sociedade para reduzir perdas de alimentos em toda a cadeia produtiva e de consumo.

http://www.mma.gov.br/informma/item/15127-edital-seleciona-iniciativas-contra-desperd%C3%ADcio.html

Brasília – O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lança Chamada Pública para a seleção de boas práticas no combate à perda e ao desperdício de alimentos. A ideia é identificar, chancelar e divulgar iniciativas que promovam maior aproveitamento de comida no Brasil. As melhores ações serão divulgadas nas mídias eletrônicas do MMA, receberão certificado de reconhecimento e comporão a base de dados do Ministério. As inscrições começam hoje (4) e vão até 23 de outubro, às 18 horas.

As três iniciativas melhor avaliadas em cada uma das cinco categorias (produção, pós-colheita, processamento, comercialização e consumo) vão participar de um seminário em Brasília, durante a Semana Nacional de Conscientização da Perda e Desperdício de Alimentos 2018 (Semana PDA 2018), de 5 a 11 de novembro. Os interessados devem preencher o formulário de inscrição online que está no edital.

CONSUMIDORES

A Semana Nacional de Conscientização da Perda e Desperdício de Alimentos tem o objetivo de aumentar a compreensão e fortalecer a ação de todos os setores da sociedade, principalmente produtores agrícolas, indústria alimentícia, comércio e varejo, pesquisa e inovação, e os consumidores.

“As perdas estão sendo vistas pelos produtores e distribuidores porque representam prejuízo para eles. O que precisamos fazer agora é chamar a atenção dos consumidores para evitar os desperdícios dentro de casa”, destaca a secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do MMA, Rejane Pieratti.

O combate à perda e ao desperdício de alimentos é de uma ação humanitária em todo o mundo e foi incluído na Agenda 2030 por meio do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 12, que coloca o desafio de reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial.

DESPERDÍCIO

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) estima que, todo ano, aproximadamente 1,3 bilhão de toneladas de alimentos no mundo são perdidas. Isso equivale a mais de 30% de toda produção de comida no planeta. No Brasil, em 2013, 26,3 milhões de toneladas de alimentos foram para o lixo. Produtos como arroz, milho, tomate e cebola são os mais desperdiçados no país.

Os esforços governamentais estão concentrados na implementação da Estratégia Intersetorial para a Redução de Perdas e Desperdício de Alimentos no Brasil, elaborada pelo Comitê Técnico de Perdas e Desperdício de Alimentos, no âmbito da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional, do qual faz parte o Ministério do Meio Ambiente.

SELEÇÃO

Podem participar da Chamada Pública pessoas físicas, instituições registradas no Brasil, instituições pertencentes à administrações públicas municipal, estadual e federal, direta ou indireta; instituições de pesquisa e/ou tecnologia e instituições privadas, com e sem fins lucrativos. Só serão aceitas inscrições que forem realizadas dentro do período e horário descritos acima, devidamente acompanhadas da documentação e materiais eletrônicos exigidos.

Acesse aqui a chamada pública.

__________________________________________________________________________________________________________

<< voltar